segunda-feira, 6 de novembro de 2006

"A Casa da Avó de DEUS"




Estes dias resolvi fazer uma visita a casa da minha avó, pessoa muito doce, aliás, isto deve ser algo que se ensinei no curso de formação de avós, porque geralmente é como elas são. Doces, gentis, cuidadosas, nos enchem de mimos. As lembranças de minha infância, das visitas a casa de minha avó são as mais gostosas, mas hoje senti algo mais forte do que o normal, resolvi descer um poço mais longe da minha parada habitual, queria andar, ver como estava o bairro, ver se as casas, a vizinhança tinha mudado muito, e pra meu espanto estava tudo como era antes, voltei a ser criança...
De todas as coisas que senti, uma realmente mexeu com minha cabeça, quando me aproximava da casa de minha avó, já de uma certa distância, comecei a sentir o cheiro, o cheiro da casa de minha avó, e aí mais do que lembranças, eu revivi algo que estava guardado bem lá dentro. Uma criança, passou na minha frente sem pedir licença, me atropelando, olhando com uma carinha abuzada, e só aí percebi que aquela criança era eu, minha infância voltou, e minha criança voltou junto com ela.
Um cheiro me levou a minha época favorita, a minha casa favorita, a tudo que muito amei, apenas um cheiro, às vezes me pego procurando alguém num shopping simplesmente porque senti um cheiro comum, que poder um simples aroma tem, o de nos transportar pra outros lugares, outras épocas, o de nos trazer pessoas que estão longe.
Nessas horas me lembro da poesia sagrada, quando uma das coisas que Deus expressa gostar no culto é o aroma suave dos sacrifícios (Gn 8:21). O que será que vem na memória de Deus quando ele sente estes cheiros? Do que ele lembra? Do que ele sente saudades? Fiquei por muito tempo pensando nisso e procurando uma resposta até que ela me veio. A resposta da saudade de Deus.
Um dia Deus estava sentado no trono, quando despercebido sente um cheiro, suave, gostoso adentrando a sala do trono, fecha os olhos e começa a saborear, as lembranças que este aroma o traz, porem mais do que isso acontece, ele começa a viver e reviver tudo o que o cheiro lhe traz, então a criança Divina surge pra brincar, não contente com tudo aquilo deseja mais, procura alguém especial, chamada Maria e lhe toma emprestado o ventre, o menino Deus mostra na figura de Jesus de Nazaré a resposta de sua saudade, a resposta do seu amor, é Ele nos dizendo, quero estar perto e vocês, o cheiro que vocês exalam me faz ter vontade de estar com vocês.
O cheiro da casa da minha avó me faz não ter vontade de sair de lá, o cheiro da adoração faz com que Deus não tenha vontade de sair de perto do adorador, a adoração é a morte da saudade de Deus, por isso que ele procura adoradores que o adorem em espírito e em verdade, aqueles que tem um cheiro especial, isso não fala de rituais ou coisas parecidas, fala de corações apaixonados, Deus tem saudade de você.
Maninho, qual o cheiro que Deus tem sentido de você? Ele tem sentido algum? Não tenha medo, sinta o cheiro e exale o cheiro, viva e deixe viver a infância de Deus em você.

Às vezes penso que sou a casa da avó de Deus...

Com carinho,

3 comentários:

Mirela Carmo disse...

Belo testo.

Simples, invade o nosso interior e nos leva a buscarmos o cheiro perdido, o cheiro que percebemos mas nao conseguimos identificar.
O cheiro do nosso eu, descomprometido na busca de Deus.

Mirela Carmo disse...

Belo texto.

Simples, invade o nosso interior e nos leva a buscarmos o cheiro perdido, o cheiro que percebemos mas nao conseguimos identificar.
O cheiro do nosso eu, descomprometido na busca de Deus.

janaine disse...

fiquei pensando agora q xeiru DEUS sente de mim sua poesia mim deixou refletino