terça-feira, 4 de março de 2008

"Eros e Thanatos"



Um dos assuntos que mais me seduzem é a mitologia, e hoje tava lendo sobre "Eros e Thanatos", da só uma lida na estoria...








O amor e a morte.


Eros e Thanatos.


Os extremos.


Conta a lenda que Eros adormeceu numa caverna, embriagado pelos auspícios de Hipno, o irmão de Thanatos. Ao sonhar e relaxar, suas flechas se espalharam pela caverna, misturando-se às flechas da morte. Ao acordar, Eros sabia quantas flechas possuía. Reunia-as, mas sem querer levou algumas pertencentes a Thanatos. Assim, os velhos se sentem embrigados pelo amor, flechados por Eros, enquanto muitos jovens sentem a morte no coração. Muitas vezes, o amor quando finda deixa uma sensação tal de vazio e solidão, que deve ser muito próximo daquilo que acreditamos ser a morte. Enquanto outras vezes é preciso que a morte se estabeleça para que o amor nasça. A passionalidade cerca os seres, todos. Não há quem nunca pensou em extremos diante de uma ameaça. Por isso mesmo, há de morrer para que renasça o amor.


Breve mais contos mitologicos...

Um comentário:

max disse...

gostei do conto mitologico
muitas vezes vejo o amor como um abismo.como diz o poeta vinicius "a solidão é o fim de quem ama"