quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

O SONHO!

Hoje, depois de um sonho ótimo me lembrei do poetinha, Vinicius, quando escreve “Eu não existo sem você” diz; “... todo grande amor só é bem grande se for triste...” e foi ainda com o sonho da noite anterior na cabeça que passei o dia cantarolando essa musica...


... Você estava com uma blusa amarela, deitada na cama, olhando o computador. O olhar na tela, mas a mente perdida em pensamentos. Enquanto lia o texto estampado na tela de fundo preto, parava, olhava para o alto e mergulhava em um mar profundo, era sedutor.

De longe te olhava, e com um sorriso de satisfação no rosto tentava entrar naquele mar profundo, escuro e lindo, cheio de vida que eram seus pensamentos.

Dei um passo à frente querendo chegar perto, mas hesitei um pouco, aquela cena que se pintava na minha frente era tão perfeita que nem os mestres da arte conseguiriam reproduzi-la, não queria borrá-la, mas a sedução que me tomava era maior, começava com o bater forte de meu coração, com aquela reação química circulando por todo meu corpo e se refletindo em mais um passo.

Você me percebeu, me olhou, deu um sorriso daqueles que de tão cheio de beleza tem o poder de ascender a lua. Cheguei mais perto e fui subindo na cama, coloquei primeiro meu joelho direito, me apoiei com a mão esquerda, enquanto a direita procurava teu corpo. Deitei ao teu lado, o coração batendo mais forte levado pelo ritmo de tua respiração, subi minha mão direita pelo teu corpo começando pelas pernas, passando pelo braço, quase nem tocando, pulei para o teu rosto e toquei, nosso olhar parecia ligado, não conseguia desviar de teus olhos, os meus dedos desciam pelo teu rosto como dedilhando um piano numa melodia suave de leve sendo levado para tua nuca e se emaranhando nos teus cabelos, te puxo pra mais perto de minha boca. Sentindo tua respiração forte e ofegante, se encontrando com a minha, o calor da tua boca tocando de leve a minha, te puxei. Beijei. Entrei naquele maravilhoso mar, te senti... Acordei...

Nessa hora, sem saber se ainda sonhando ou acordado sou tomado pelo poetinha... “eu sei e você sabe que a distancia não existe, que todo grande amor só é bem grande se for triste, por isso, meu amor, não tenha medo de sofrer, que todos os caminhos me encaminham pra você...”



Clarence Santos

Um comentário:

Diego disse...

Achei parecido com um romance, mas achei esquisito pensar que foi um pastor que escreveu. Eu acho que tá na hora de rever os meus paradigmas.