quarta-feira, 3 de março de 2010

"Conversando..."

- ...Tem gente que consegue sintetizar as coisas de uma forma, que uma frase fala o que outros diriam em um parágrafo, ou ate em uma folha inteira escrita, sempre que vejo algo assim, muito bom, com que me identifico, confesso, sempre me vem aquele pensamento tipo: “poxa vida, deveria ter escrito essa frase antes, ele roubou de minha mente...”, muitos desses me poupariam folhas e mais folhas de textos...


Enquanto vou falando, sento numa mureta e observo a paisagem que se desenha a minha frente, meio alheio na verdade a ela de fato, mas envolto numa nuvem de pensamentos que tenta lembrar varias dessas frases que já me trouxeram este sentimento, é então que percebo esta figura perdida em minhas palavras, olhando o nada, pernas cruzadas, braços apoiados no muro, cabelos curtos esvoaçantes se desenhando como rabiscos em seu rosto...
Quando interrompe...

- Queria que você pensasse isso de uma frase minha...
- Acabei de pensar
"Saudade quando não cabe na alma, vira mar. Deságua e chora."
Essa frase me pouparia metade das coisas q escrevi esta semana

Com um sorriso gostoso você fala:

- Que coisa boa ouvir isso. Sentimento universal.
- é sim, não sei se viu, mas escrevi demais sobre saudades estes dias...
- vi sim, eu também.
- tenho um sentimento de saudade como um sacramento, confere graça...
- Ando escrevendo demais sobre saudade. E tava pensando que saudade, as vezes vem carregada de culpa.
Saudade do que poderia ter vivido...
- é verdade, saudades do que nunca existiu...
- Do que poderia ter feito pra ser diferente e não ter o fim solitário de agora, o que desperta a saudade. É... Saudade é uma coisa ardida, e eu sempre achei engraçado o gosto salgado que a lágrima tem, Gosto de mar. Gosto de coisa que vai e volta, profunda, imensa, sei lá...
- mais uma que sai tão perfeito que deveria ser minha...

Um riso gostoso nos toma por alguns segundos quando continuo

- Vai e volta... Dialética... Transformação...
Tem coisa q a saudade transforma, Transubstancia.
Tava olhando uma videira que tenho aqui em meu quintal, meu avô me deu. Todos q olham, vêem apenas uma videira pra mim é diferente, vejo os fios dourados e belos q saem dela e tocam meu coração.
Saudade tem esse poder...
De transformar as coisas
- É verdade! Que bonito isso. Saudade deixa a gente com o olhar mais bonito...
- tava pensando aqui, essa nossa conversa dava pra virar texto do blog não é?!

Sorrindo você levantou e começou a andar, olhou pra trás, me deu um xauzinho com a mão e foi... Levantei e segui outro caminho...





Clarence Santos
Larissa Minghin

3 comentários:

Leo Bulhões disse...

Massa!!!

daniela disse...

Oi, Clarence! Nunca mais tinha lido um dos seus textos maravilhosos! Sabia q ainda tenho guardado alguns daquela época... gosto muito do que vc escreve! E esse texto sobre saudade tem partes que encaixam direitinho na minha história! Muito legal isso! Eu aki remoendo um pouco da minha saudade, e de repente me dá uma vontade de entrar no teu blog! Parece até msg de Deus! Impressionante! Bem, enfim, AMEI E ME RECONFORTOU UM POUQUINHO!!

Bjooooooooo e saudades!!!

Catarina disse...

Poxa... Esse texto éstá lindo, Clarence! E eu estou passando por um período de "tentar-esquecer-a-saudade", deu uma dorzinha aqui... Poxa... Lindo, lindo. Parabéns!