quinta-feira, 4 de março de 2010

“Despedida do logus...”

A cena me lembrou uma musica do cartola e acabou que ela ficou em minha mente o resto do dia.


Quando passei pela porta do quarto e te vi arrumando as suas coisas, meu coração deu uma pontada, ainda era difícil acreditar, a pouco tempo essa casa era tão sua, mas você não era dessa casa, era do mundo, assim, estava deixando de ser minha também, se é que um dia foi...

É como um filho que criamos, preparamos, mas quando cresce conhece o mundo, a vida e toma seu caminho, deixa de ser só nosso...

Você virou com um olhar doce enquanto colocava a mochila nas costas e sorriu...

“Sempre vou lembrar-me de onde vim, sempre vou estar antropofagicamente ligada a você...”

Essas foram suas ultimas palavras quando saiu pra só voltar em visitas e em lembranças...

Com uma caneta BIC nas mãos, um caderno de anotações apoiado nas pernas cruzadas, cantarolando Cartola baixinho, observei você ganhar o mundo...



“Ainda é cedo amor, mal começaste a conhecer a vida...”

Clarence Santos


Numa conversa sobre meus escritos falei:

“...Na verdade depois de publicado eles deixam de ser meu, nada depois que toma o mundo é mais nosso, é mais ou menos como filho, sempre vamos ter ligação, mas é do mundo agora, tem vida própria e em cada cabeça toma rumos diferentes...”

Um comentário:

Thaís Cristina disse...

Querido amigo, a muito nao passeava por teu blog e fiquei realmente encantada com este texto, afinal a música nele cita é uma das minhas preferidas do mestre Cartola.....