sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Sobre as cores da solidão...

 
Outro dia tava dizendo que queria ta morando em São Paulo,
pelo menos solidão por la é clichê...

Ai a 
Aline Lopes lembra:

- o Zeca baleiro que canta isso viu... 


...mais solitario que um paulistano....

E a gente ri...
E ela continuou:

- Teve uma entrevista, que uma reporter perguntou ao Zeca sobre o trecho da musica...

Fez um silencio daqueles que nos deixam extremamente curioso, e perguntei...

- E ele?

- O Zeca? o Zeca respondeu...que o paulistano não é tão solitario, o problemas são os prédios, tão cinzas, dai fica meio solitário...

Fez uma pausa pensativa e soltou

- Vai saber...

Risos...
e olha pra mim com a sinceridade que lhe é inerente e fala

- Mas a tua vida esta longe de ser cinza Clarence, tua vida é colorida com as cores do amor, da alegria e da vida, eternidade... não sei qual cor pode representar tudo isso, mas você tem ela com toda certeza

Falei com o olhar perdido no nada...

- Talvez isso seja o que de fato dói, o fato de acostumar com cores fortes e depois vê-las mais claras, desbotadas...

- Mas continuam sendo cores... não se apaga, fica clara, mas depois volta forte que até arde os olhos

- É Aline, você também é bem colorida, e além, uma das maiores pintoras da vida que conheço, obrigado por isso, assim você me fez muito bem...

- Acho que sou colorida por ter medo da solidão, mas é isso, a vida passa, e o amor fica cada vez mais forte...


Clarence Santos
Aline Lopes

Foto Coletivo Casa de Marimbondo

sábado, 11 de fevereiro de 2012

"O gosto salgado de tristeza"

Ela vinha de longe  porem já me encontrava com o seu olhar
Guardava no canto da boca um sorriso discreto, belo
Sorriso carregado de mistério
Daqueles que mesmo no meio de uma multidão consegue observar algo que mais ninguem viu...
Logo se apressou
Chegou ao meu lado e disse:
Seus olhos hoje brilham mais que o normal, brilho diferente...”
Foi quando ela abaixou,
E carinhosamente me beijou no olho
E percebeu que o brilho de meus olhos
Tinha o gosto salgado de tristeza...

Clarence Santos