sábado, 15 de setembro de 2012

De quando atendi o pedido da jovem poeta


“Não me ame mais...”
Foi o que me disse a jovem poeta a alguns anos atras,
Deu o ultimo gole na cerveja, levantou e se foi...
Mas ficou, ficou a lembrança de bons dias juntos,
De boas historias,
De bons momentos,
De noites ardentes,
Mas no final,
“Não me ame mais...” ela dizia,
Aquilo me doia a alma,
Ausencia do quente que meu corpo pedia sempre,
Das noites de devaneios regados a bebidas dos filosofos
Da necrofilia da arte musical
Inebriante em cada noite de festa em que se tornavam todas,
Mas no final, tudo termina num pedido,
“Não me ame mais...”
E por fim, resolvi, atendi...
Não amei mais,
Não amo mais,
Não mais amarei...

Clarence Santos

Nenhum comentário: